Valuation: Quanto vale um canal no Youtube?

 

Enquanto setor impacta R$ 3,4 bi no PIB brasileiro, empreendedores da plataforma ainda são despreparados para calcular seu valor de mercado

O Youtube é um dos mercados mais rentáveis da nova economia. Como as principais redes sociais, a plataforma tornou-se terreno fértil para a comunicação de marcas. Em 2020, seu impacto foi de R$ 3,4 bi no PIB brasileiro, além de gerar 122 mil empregos, segundo a consultoria Oxford Economics. Com essa crescente profissionalização, os youtubers precisam entender qual a melhor forma de fazer sua gestão financeira para estarem preparados para os diversos movimentos da economia.

“Os canais de Youtube são hoje verdadeiras empresas. Por isso, é preciso ter uma estratégia bem definida para monetizar a audiência e gerar valor”, afirma Leonardo Brasil, da StartupHero, startup carioca especializada em valuation (relatório de avaliação) de PMEs e startups da nova economia. Segundo ele, é comum que canais pequenos ou médios recebam propostas de compra de canais maiores, por exemplo, mas não sabem qual seu real valor de mercado.

Em primeiro lugar, deve-se levar em conta que o modelo de negócio foge do tradicional, funcionando por meio de mídias, patrocínios e anúncios. Por isso, leva-se em consideração métricas menos utilizadas no mundo financeiro, e mais comuns na comunicação e marketing, como engajamento, seguidores, retenção e custo por clique. “Elas funcionam como um termômetro para a qualidade, atratividade e potencial de crescimento do canal”, diz Leonardo.

Mas também há muitos pontos similares na avaliação de qualquer empresa, como receita bruta anual e margem líquida do negócio, assim como seu potencial de crescimento e fluxos de caixa futuros.

“Aplicamos técnicas padrões de valuation, adaptadas para a realidade do setor e do modelo de negócio que está sendo avaliado. No caso dos canais do Youtube, por representar um mercado mais imprevisível, naturalmente os riscos são maiores e isso precisa ser considerado na hora de calcular a taxa de desconto”, explica Leonardo.

Entre os desafios, está o fato de que ainda existem poucos casos de vendas de canais que foram divulgadas publicamente para comparação de múltiplos – técnica de valuation em que se compara as métricas como receita bruta e lucro líquido de uma empresa com outras do mesmo setor. Mas com a rápida evolução do setor, isso deve mudar. “Os anúncios já não são a única forma de monetizar um canal. A tendência é que os mais amadores fiquem cada vez menos relevantes”, finaliza o sócio-fundador da StartupHero.

Sobre a StartupHero

Startup carioca que oferece serviço de valuation (relatório de avaliação) sob medida para PMEs e startups de setores diversos em processos de fusão, aquisição, entrada e saída de sócios e recebimento de investidores. Outro carro-chefe é o serviço de pitch deck, material de apresentação para captação. Já atendeu 300 clientes, desde segmentos tradicionais, como padarias e pequenos comércios, até nova economia, como canais do Youtube, criptomoedas, NFTs e cannabis. Foi fundada por Leonardo Brasil e Leonardo Machado. 

 

Fundadores

Leonardo Brasil (porta-voz)
Administrador pela UERJ com MBA em Design Thinking. Tem 11 anos de experiência no mercado financeiro, tendo feito a gestão de mais de R$ 100 milhões em operações no mercado financeiro. Foi sócio e responsável pela Análise de Empresas da EqSeed, plataforma de Venture Capital online. Atuou em mais de 40 operações de M&A, através da Avaliação de Empresas e Captação de Recursos.

Leonardo Machado
Administrador pela FGV-RJ com cinco anos de experiência no mercado financeiro, tendo realizado a análise de mais de 4 mil empresas. Foi sócio-investidor e responsável pelo Pós Investimento da EqSeed, plataforma de Venture Capital online. Atuou em dezenas de operações de M&A através da modelagem financeira e laudo de valuation, tendo feito mais de R$ 1 bilhão em avaliações de empresas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *