Autor da obra, consultor da MESA Hamilton Ibanes mostra como processo de sucessão bem preparado evita traumas

Trocar o comando de uma empresa familiar sem planejar a sucessão pode se tornar um processo ainda mais doloroso quando falta reconhecimento e empatia pelo trabalho desenvolvido pelo fundador. No livro, Sucessão ou Promoção? (Ás Editorial), o autor Hamilton Ibanes, consultor da MESA Corporate Governance, quebra paradigmas e desmistifica práticas ao mostrar que afastar ou expulsar o responsável pela construção do negócio por conta da idade avançada, por exemplo, é um erro crucial cometido contra quem dedicou uma vida inteira à organização e pode até mesmo arriscar a sustentabilidade da empresa.

Independentemente do porte do negócio, a falta de planejamento para a troca de comando provoca traumas e verdadeiros pesadelos durante a transição mal preparada. Na maioria dos casos, a pressa em tirar o fundador ou deixá-lo de lado quando ele é, na verdade, a pessoa mais experiente, torna o processo cruel. “O fundador não é um objeto para ser descartado de uma hora para outra. É preciso que os sucessores reconheçam e respeitem seu legado e sua contribuição para a sociedade. Ele gerou empregos, sustentou famílias e pode, ainda, se sentir vulnerável num momento tão importante da vida”, alerta o autor.

O autor lembra que em países como o Japão, por exemplo, o qual visitou mais de 10 vezes quando atuou como presidente da filial da empresa japonesa no Brasil, presenciou várias vezes os colaboradores reverenciando o fundador da companhia, reforçando um ato de respeito e agradecimento pelo trabalho desenvolvido. “Com o aumento da longevidade, é possível que o fundador seja promovido e esteja preparado para uma nova jornada e outros desafios, podendo ser o embaixador da marca ou até mesmo integrante do conselho”, sugere Ibanes.

Mas para uma troca de bastão ser bem-sucedida, o mais indicado é que a preparação comece com muita antecedência, para que todas as partes envolvidas estejam conscientes e tranquilas quanto ao processo – o fundador, os sucessores e os acionistas. Além de proteger a empresa de eventuais riscos, o planejamento estabelece regras e boas práticas de gestão para garantir a perenidade da empresa. “Não há como obrigar o fundador a ir embora e ele não quer isso. Ele quer ter segurança de que tudo que criou não vai desaparecer. É um processo de convencimento, não de isolamento”, explica.

Em Sucessão ou Promoção?, o autor também conta o processo sucessório de quatro famílias empresárias: famílias Noronha Kaiser (Grupo Cene), Cabral (Via Pajuçara), Oliveira (Grupo Lara) e Zen (Grupo Zen). Por meio de depoimentos, sucessores e sucedidos mostram a importância da implementação de novas práticas de gestão e de governança corporativa, contam experiências e relatam os desafios enfrentados para dar continuidade ao negócio familiar. “São exemplos de empresas que passaram pelo processo em momentos diferentes, em situações específicas, trazendo ao leitor a possibilidade de conhecer outros cenários de sucessão”, afirma Ibanes.

Sobre o autor:

Hamilton Ibanes é engenheiro civil, com MBA Internacional pela Business School SP/Toronto University, conselheiro certificado independente pelo IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), coach pelo ICI-SP (Integrated Coaching Institute). Possui 35 anos de experiência como executivo em operações industriais/serviços (B2B e B2C) em ambientes complexos e multiculturais, com destaque para a posição de CEO de multinacional japonesa para o mercado latino-americano. Tem sólida carreira desenvolvida em grandes grupos empresariais, como Horiba, Accor/Compass, Pial Legrand/Bticino, Hunter Douglas, Incepa e Santher.

Nas empresas onde trabalhou, foi responsável por liderar processos de planejamento estratégico, recuperação de operações deficitárias por meio de novos modelos de negócios, ajustes finos de processos e desenvolvimento de pessoas. É também autor do livro “Lidere-se – Conhecendo a si mesmo para liderar”.

 

Sobre o livro:

 

Título: Sucessão ou Promoção?

Subtítulo: Um novo olhar sobre o processo sucessório

Autor: Hamilton Ibanes

Selo: Ás Editorial

ISBN: 978-65-86369-20-5

Formato: Formato: 14 x 21 cm

Páginas: 144

Gênero: Negócios

Preço de capa: R$ 59,90

Sobre a MESA Corporate Governance

A MESA Corporate Governance trabalha a governança corporativa e familiar na dimensão humana do poder, dinheiro e afeto. A empresa é constituída por uma equipe de consultores especialistas e experientes que atendem às necessidades nos diferentes momentos de modernização de empresas de origem familiar ou multissocietárias, quer sejam de capital fechado ou com ações listadas em bolsas de valores. Também é filiada às seguintes entidades e instituições: AMCHAM Brasil, IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, ICGN – International Corporate Governance Network, FBN – Family Business Network e NACD – National Association of Corporate Director

Autor da obra, consultor da MESA Hamilton Ibanes mostra como processo de sucessão bem preparado evita traumas

Trocar o comando de uma empresa familiar sem planejar a sucessão pode se tornar um processo ainda mais doloroso quando falta reconhecimento e empatia pelo trabalho desenvolvido pelo fundador. No livro, Sucessão ou Promoção? (Ás Editorial), o autor Hamilton Ibanes, consultor da MESA Corporate Governance, quebra paradigmas e desmistifica práticas ao mostrar que afastar ou expulsar o responsável pela construção do negócio por conta da idade avançada, por exemplo, é um erro crucial cometido contra quem dedicou uma vida inteira à organização e pode até mesmo arriscar a sustentabilidade da empresa.

Independentemente do porte do negócio, a falta de planejamento para a troca de comando provoca traumas e verdadeiros pesadelos durante a transição mal preparada. Na maioria dos casos, a pressa em tirar o fundador ou deixá-lo de lado quando ele é, na verdade, a pessoa mais experiente, torna o processo cruel. “O fundador não é um objeto para ser descartado de uma hora para outra. É preciso que os sucessores reconheçam e respeitem seu legado e sua contribuição para a sociedade. Ele gerou empregos, sustentou famílias e pode, ainda, se sentir vulnerável num momento tão importante da vida”, alerta o autor.

O autor lembra que em países como o Japão, por exemplo, o qual visitou mais de 10 vezes quando atuou como presidente da filial da empresa japonesa no Brasil, presenciou várias vezes os colaboradores reverenciando o fundador da companhia, reforçando um ato de respeito e agradecimento pelo trabalho desenvolvido. “Com o aumento da longevidade, é possível que o fundador seja promovido e esteja preparado para uma nova jornada e outros desafios, podendo ser o embaixador da marca ou até mesmo integrante do conselho”, sugere Ibanes.

Mas para uma troca de bastão ser bem-sucedida, o mais indicado é que a preparação comece com muita antecedência, para que todas as partes envolvidas estejam conscientes e tranquilas quanto ao processo – o fundador, os sucessores e os acionistas. Além de proteger a empresa de eventuais riscos, o planejamento estabelece regras e boas práticas de gestão para garantir a perenidade da empresa. “Não há como obrigar o fundador a ir embora e ele não quer isso. Ele quer ter segurança de que tudo que criou não vai desaparecer. É um processo de convencimento, não de isolamento”, explica.

Em Sucessão ou Promoção?, o autor também conta o processo sucessório de quatro famílias empresárias: famílias Noronha Kaiser (Grupo Cene), Cabral (Via Pajuçara), Oliveira (Grupo Lara) e Zen (Grupo Zen). Por meio de depoimentos, sucessores e sucedidos mostram a importância da implementação de novas práticas de gestão e de governança corporativa, contam experiências e relatam os desafios enfrentados para dar continuidade ao negócio familiar. “São exemplos de empresas que passaram pelo processo em momentos diferentes, em situações específicas, trazendo ao leitor a possibilidade de conhecer outros cenários de sucessão”, afirma Ibanes.

Sobre o autor:

Hamilton Ibanes é engenheiro civil, com MBA Internacional pela Business School SP/Toronto University, conselheiro certificado independente pelo IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), coach pelo ICI-SP (Integrated Coaching Institute). Possui 35 anos de experiência como executivo em operações industriais/serviços (B2B e B2C) em ambientes complexos e multiculturais, com destaque para a posição de CEO de multinacional japonesa para o mercado latino-americano. Tem sólida carreira desenvolvida em grandes grupos empresariais, como Horiba, Accor/Compass, Pial Legrand/Bticino, Hunter Douglas, Incepa e Santher.

Nas empresas onde trabalhou, foi responsável por liderar processos de planejamento estratégico, recuperação de operações deficitárias por meio de novos modelos de negócios, ajustes finos de processos e desenvolvimento de pessoas. É também autor do livro “Lidere-se – Conhecendo a si mesmo para liderar”.

 

Sobre o livro:

 

Título: Sucessão ou Promoção?

Subtítulo: Um novo olhar sobre o processo sucessório

Autor: Hamilton Ibanes

Selo: Ás Editorial

ISBN: 978-65-86369-20-5

Formato: Formato: 14 x 21 cm

Páginas: 144

Gênero: Negócios

Preço de capa: R$ 59,90

Sobre a MESA Corporate Governance

A MESA Corporate Governance trabalha a governança corporativa e familiar na dimensão humana do poder, dinheiro e afeto. A empresa é constituída por uma equipe de consultores especialistas e experientes que atendem às necessidades nos diferentes momentos de modernização de empresas de origem familiar ou multissocietárias, quer sejam de capital fechado ou com ações listadas em bolsas de valores. Também é filiada às seguintes entidades e instituições: AMCHAM Brasil, IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, ICGN – International Corporate Governance Network, FBN – Family Business Network e NACD – National Association of Corporate Directors.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *